Macae Turismo

Macae Turismo

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Valparaíso

FONTE:http://feriasnochile.com/roteiros/valparaiso


Valparaíso


Valparaíso e sua história

A cidade de Valparaíso nasceu com o Porto em 1536, o principal do Chile. Situada na V região do país, a cidade serviu de passagem para os espanhóis conquistarem outras partes do Chile, passando pelo Valle de Casablanca e chegando até Santiago, fundada somente cinco anos depois, em 1541. Durante os séculos XVIII e XIX, por ser um ponto importante na rota que ligava a Europa a Costa do Pacífico através do Cabo de Hornos, foram chegando imigrantes ingleses, franceses, iugoslavos, portugueses e holandeses, além dos espanhóis, que se instalaram, criaram o comércio local e fundaram jornais, cada um em suas línguas. Do comércio portuário, entre sacudidas e tsunamis, batalhas e ataques de piratas, Valparaíso sobreviveu por quase 400 anos.
Em 1730, um forte terremoto de 8.7 e 15 minutos de sacudidas provocou um tsunami que devastou a cidade portuária de Valparaíso e causou destruição também nas regiões de Santiago, Concepción e Los Ríos, além de provocar destruição em Callao no Perú e atravessar o Pacífico arrasando a cidade japonesa de Sendai.
Outros terremotos atingiram Valpo nos anos de: 1822, 1985, 2010 e 2015. Mas o de 1906, foi o que provocou mais danos para o porto e causou destruição em praticamente toda a cidade.
Em 1912, com a abertura do Canal do Panamá, que afastou o comércio do Porto , “La Joya del Pacífico” assim batizada por um grupo de marinheiros, Valparaíso foi se deteriorando até se transformar em ruínas.
terremoto-valparaiso-1906

O renascimento de La Joya del Pacífico

A partir do final do século XX, entre suas ruínas, pintores, escritores e pensadores foram chegando e se apaixonando por sua beleza caótica e transformaram a cidade na capital artística do Chile. Em 2003, a Unesco declarou Valparaíso como Patrimônio da Humanidade por seu valor histórico, cultural e sua geografia única.
santiagochile
A economia mais estável do Chile permitiu um novo crescimento ao comércio no Porto, e dois programas colaboraram com o renascimento da cidade: em 2006, o governo lançou o programa de desenvolvimento e recuperação urbana e, em 2010, o Plan Rumba ajudou a promover o turismo na cidade. Hoje Valparaíso é o destino do Chile mais procurado por turistas do mundo todo e vive principalmente do comércio portuário, da sua cultura e do turismo.
Após o golpe militar, o Congresso foi transferido para a parte baixa de Valparaíso, o que dá à cidade certa importância política. Algumas importantes universidades têm suas sedes aqui, como a Universidad de Chile e a Universidad Católica de Valparaiso, entre outras. A cidade conta ainda com um movimentado comércio de rua, bancos, restaurantes, shoppings, metrô, tudo misturado com seu lado histórico de seus monumentos, seus prédios antigos e seus trólebus que ainda circulam pelas ruas, levando e trazendo seus moradores.
povo-chileno

Caótico encanto

Vista de longe, ela até lembra os morros do Rio de Janeiro, mas, de perto, vemos que nada tem a ver. Cercada por 42 cerros (morros), suas ruas são íngremes e estreitas, suas casas antigas e coloridas, pintadas com restos de tintas que chegavam ao Porto. Grafites também colorem e enriquecem suas ruas em diversos e imensos murais espalhados pelos morros. O mar e o céu azul a sua volta, o movimento portuário, suas casas “penduradas” e seus moradores fazem desse cenário uma experiência única a ser vista de qualquer ponto. Sua beleza é única.
valparaiso-3
valparaiso-1
Não deixe de caminhar entre as ruas agitadas dos Cerros Concepción e Alegre, por onde você vai cruzar com moradores, artistas locais, estudantes e turistas do mundo todo. Aqui também não faltam opções de restaurantes, galerias de arte, cafés, hosteis e hotéis para todos os gostos. A vida noturna é agitada e barulhenta, e a troca de energia e cultura que se vive aqui é uma experiência enriquecedora. Você vai encontrar uma surpresa em cada ruazinha ou escada colorida por que passar, gatos e cachorros espalhados pelas ruas também fazem parte da vida aqui, e nos pequenos ateliês ou nas grandes galerias que esbanjam charme e aconchego, você vai encontrar arte e artesanato feito com a paixão de quem vive em Valparaíso. Se puder, venha para passar ao menos dois dias inteiros aqui, para ter tempo de viver e experimentar um pouco do que Valpo oferece.
valparaiso-5
valparaiso-1
valparaiso-4
Aqui, os ascensores, um tipo de bondinho, é a melhor opção para os turistas subirem os morros da cidade. Você pode fazer o caminho a pé ou de carro, mas a sensação de passear por esse meio de transporte tão antigo é incrível e faz parte da beleza e história do lugar. Eles foram construídos a partir de 1883 e o primeiro foi o  Ascensor Concepción, no cerro de mesmo nome e em funcionamento até hoje. Mas, dos 30 ascensores construídos, apenas 16 seguiram em condições de funcionamento, e foram eles declarados como Monumento Histórico Nacional. Atualmente (março 2016), apenas 8 estão operando normalmente, motivo de revolta dos moradores, pois provoca um transtorno para o dia a dia deles.
ascensor-valparaiso-1
A virada do ano em Valparaíso é um espetáculo à parte, 30 minutos de fogos artificiais iluminam toda a borda costeira da cidade, e uma alegria que contagia. Mas, se você pensa em se hospedar na cidade para participar dessa festa, veja tudo com muita antecedência, porque, mesmo sendo grande o número de hotéis e hosteis, a procura também é muito grande.
reveillon-valparaiso

Inspiração para o Poeta

No alto de um dos morros, conhecido como Cerro Artillería, há uma feirinha de artesanato local, alguns restaurantes e um mirador para se apreciar a vista lindíssima do Porto, que colore o mar com seus containers de várias cores e tamanhos. Todo o seu movimento misturado ao céu e mar azul faz dessa parada obrigatória aqui em Valparaíso. Aqui também está o Museu Marítimo Nacional, onde, além de se conhecer muito da história da cidade e das batalhas chilenas, você pode ver de perto (e até tirar algumas fotos) a cápsula Fenix II, usada para retirar os 33 mineiros que ficaram soterrados por 69 dias em um acidente que comoveu o mundo e rendeu o filme The 33, lançado no início de agosto de 2015 aqui no Chile.
porto-valparaiso-1
valparaiso-1
valparaiso-6
Neruda escolheu um dos morros de Valparaíso para viver seus momentos de inspiração. A  La Sebastiana, cravada no Cerro Florida, é uma das suas três casas aqui no Chile. Por volta de 1959, ele pediu para uma amiga procurar uma casa com algumas características especiais: que fosse independente, mas que estivesse perto do comércio, que os vizinhos fossem quase invisíveis, que não fosse muito pequena e nem muito grande, entre outros pedidos. Quando sua amiga encontrou a casa que considerou adequada, mostrou a Neruda, que gostou, mas a achou muito grande, então resolveram a situação comprando a casa juntos e dividindo-a por pisos. Ele ficou com os três pisos de cima da casa, e dali ele tinha uma vista privilegiada e podia ver quase toda a cidade com a ajuda de seus binóculos. Depois de algumas reformas, a casa foi inaugurada com uma festa para os amigos, em 1961, e o nome foi em homenagem ao seu construtor e antigo dono, Sebastián Collado.
valparaiso-5
Pablo Neruda, prêmio Nobel de Literatura em 1971, morreu apenas 11 dias após o golpe militar que o Chile sofreu em 1973, e por seu papel importante na literatura e na sociedade, suas casas passaram a ser Casas Museus administradas pela Fundação Pablo Neruda. Com um intenso programa cultural em suas três casas, a Fundação promove conferências com escritores, artistas e intelectuais, concertos de música, lançamento de livros, obras de teatro e dança, ciclos de filmes e documentários e exposições de artes, além de concursos de poesia e encontros literários voltados aos jovens, para apoiar a criação artística e literária das novas gerações.
la-sebastiana
A La Sebastiana passou a ser Casa Museu em 1991, aberta ao público para visitações autoguiadas, em que você vai ter a oportunidade de conhecer um pouco mais da história de um dos poetas mais importantes do Chile e também conhecer outra de suas paixões, além da poesia e das mulheres: a aquisição por objetos de decoração, móveis e tudo que pudesse dar ainda mais vida e autenticidade às suas casas. Mas você também pode passar por aqui apenas para tomar um café e conhecer a casa por fora, sua loja, sua biblioteca, seus jardins e seu espaço para exposições, além da vista para os morros e suas ruazinhas multicoloridas que seduziram Neruda.
Entao chegou a hora de voce conhecer o Chile. 
Garanta ja sua vaga com a Macae Turismo 
LIGUE JA PARA A MACAE TURISMO OU ACESSE NOSSO SITE: www.macaeturismo.com.br 
(22)2791-3462/99790-8504wats appp
#fujadasexcursoespiratas
#viajecomguiascadastur

Onde Comprar em Santiago

FONTE: http://feriasnochile.com/ifijate/onde-comprar-em-santiago

O roteiro que segue, tem algumas das boas opções de onde comprar em Santiago do Chile. Nas grandes lojas de departamento, você vai encontrar ótimas promoções o ano todo, os vinhos tem preço bom nas vinhas e nos mercados, e aqui protetor solar e lenço demaquilante, tem preços incríveis. Então não esqueça de deixar um espaço na mala, você vai precisar! Cuidado com o sobre peso, no aeroporto daqui eles são bem cautelosos, e não tem jeitinho brasileiro não. Na mão, cada passageiro pode levar até 3 garrafas de vinho, mas conta como uma bagagem de mão, então fique atento, para o barato não sair caro. Pese suas malas antes de embarcar, e boas compras!!

Shopping (Mall) Parque Arauco

Um dos shoppings mais bacanas aqui de Santiago, tem de tudo: praça de alimentação convencional e uma a céu aberto que é tudo de bom, cinemas, atividades e eventos. Uma infinidade de opções de lojas de roupas, sapatos, infantil, perfumes, joias e bijuterias, brinquedos e um piso inteiro só de decoração, e nele você vai encontrar a Casaideas, um lugar incrível para compras de objetos para a casa toda, muita coisa para as crianças e uma papelaria que é uma loucura. Fica no bairro de Las Condes.  http://www.parquearauco.cl/

Shopping (Mall) Costanera

Outro shopping bem completo e com uma ótima localização, no bairro de Providencia e de fácil acesso, com o metrô Tobalaba bem pertinho. Ele foi construído na parte inferior da Torre Costanera Center, o maior edifício da América Latina, com 300 metros de altura e 62 andares. Sua praça de alimentação é bem variada com os fast-foods mais conhecidos, e outra parte de restaurantes a la carte, que em certos dias e horários tem música ao vivo. Aqui tem o mercado Jumbo, ótima opção pra comprar chocolates e vinhos, logo na entrada. Você vai ficar maravilhado com tanta opção! Inúmeras lojas de todos os segmentos são divididas por categorias em seus 6 pisos. Se vier com mais tempo e curtir um bom rock, dê uma passadinha no Hard Rock Café Santiago, que fica aqui também. http://mall.costaneracenter.cl

Centro

Com a vantagem de ser um centro bem cuidado e agradável para se caminhar e fazer compras, é uma ótima opção! Nas pequenas lojas, você vai encontrar variedade e bons preços e, nas grandes lojas, como Paris, Falabella e Ripley, boas promoções. Vale a pena dar uma olhadinha nos ambulantes também, você vai encontrar chocolates, bijuterias e produtos feitos em lã. Faz parte do passeio! Vá de metrô, desça na estação Universidade do Chile e comece pelo Passeo Ahumada, uma das ruas principais da região.

Feira Artesanal de Santa Lucía

Lugar perfeito para compra de souvenirs e lembrancinhas típicas do artesanato chileno, com variedade e bom preço. Muita coisa feita em lã, bronze, lapis lazuli, madeira, roupas feitas a mão, lenços e muito mais. Fica em frente ao cerro, logo na saída do metrô Santa Lucía.

Preunic

É uma rede de lojas de produtos de beleza, espalhada por vários pontos da cidade, dentro e fora dos shoppings. Ótima opção para comprar cremes, perfumes, maquiagem, sabonete líquido, lenços umedecidos e protetor solar. Estes dois últimos itens são bem mais em conta aqui. Se passar por uma, não deixe de entrar, vale a pena fazer um pequeno estoque.

Jumbo

É uma rede de supermercado que está em vários pontos da cidade. O de mais fácil acesso é o que fica no shopping Costanera. Ótima opção para comprar chocolates e vinhos, com uma grande variedade e bom preço.
mercado jumbo

Ripley, Falabella e Paris

Três principais lojas (tiendas) de departamentos aqui em Santiago, onde você encontra de perfume a móveis. Nas trocas de coleção de roupas, elas entram em promoção, com descontos que realmente valem a pena! E como elas fazem essa troca muito antecipada, dá tempo de você comprar roupas de inverno para usar ainda no inverno, ou de verão, ainda no verão.

Povoado (Pueblo) Los Domínicos

Um pequeno povoado de artistas e artesãos que expõem e vendem seus produtos em pequenas lojas, todas bem rústicas, o que faz do lugar simples, mas encantador. Construído nos anos 1970, é uma pequena réplica de um povoado chileno. Suas ruas são estreitas e de terra, e a cada esquina que você dobra, uma nova vitrine vai chamar a sua atenção.  Quadros, roupas e acessórios em lã, brincos e anéis em lapis lazuli, objetos de madeira, cerâmica e bronze, dividem o espaço com alguns cafés e restaurantes. A qualidade do artesanato aqui é nota 10, e por isso você vai pagar um pouco mais. O povoado fica no pé da cordilheira, e a vista é lindíssima. Um viveiro, gatos soltos e bem cuidados, muitas flores, tornam o passeio ainda mais agradável. Também no bairro de Las Condes, e o metrô Los Dominicos é uma ótima opção. Abre de terça a domingo, das 11h às 20h.

Bairro Patronato

Lugar que lembra a região da 25 de março, em São Paulo, com fabricantes e também com distribuidores de produtos chineses e árabes. Uma grande variedade de roupas, sapatos, cama, mesa e banho. Objetos de decoração e uma infinidade de outros produtos, que podem também ser comprados no atacado, com bom preço. Para chegar até aqui, pegue a linha 2 do metrô e desça na estação Patronato.

Casaideas

Adoro esse lugar! Cada vez que entro, fico encantada com suas cores, cheiros e formas. Tudo é muito organizado e limpo aqui, e os preços são bem bacanas. Você vai encontrar um pouco de tudo: utensílios para cozinha e banheiro, cama, mesa e banho, brinquedos educativos, guarda-chuvas, pantufas, decoração, cortinas, papelaria, tapetes, quadros e uma infinidade de fofuras coloridas. Nos principais shoppings, na avenida Nueva Providencia, e na Agustinas, centro. http://casaideas.info:8080/web/chile

Mall Sport

Um shopping completo de roupas, acessórios e equipamentos para todos os tipos de esporte. O lugar conta ainda com uma rica praça de alimentação e atividades o ano todo, como, escalada, surfe em ondas artificiais e pista de patinação no gelo. Confira a programação da temporada: http://www.mallsport.cl/

ENTAO VAMOS COMPRAR EM SANTIAGO. GARANTA JA SUA VAGA COM A MACAE TURISMO 
 (22)2791-3462/99790-8504wats appp
#fujadasexcursoespiratas
#viajecomguiascadastur


As quatro estações

FONTE: http://feriasnochile.com/roteiros/guia-inverno-no-chile

Inverno no Chile: 20 de junho a 21 de setembro


As quatro estações é um pequeno guia para te ajudar a escolher o melhor período para a sua viagem. A ideia é que você mesmo responda a pergunta: que mês é bom para viajar para o Chile? Penso que cada um busca algo pessoal e único em uma viagem e é muito importante levar em consideração os seus gostos pessoais e aquilo que você quer para as suas férias. Elaborei então esse pequeno guia, e espero que ele te ajude a fazer a sua escolha, para que sua viagem seja realmente inesquecível em qualquer estação do ano!
A seguir algumas informações de temperatura, o que trazer na mala, o lado bom de cada passeio no inverno, eventos importantes e como não deixar a chuva estragar sua viagem e desfrutar tudo o que Santiago e as regiões próximas tem de bom mesmo em dias molhados. Lembrando que no geral, chove pouco no Chile!
aeroporto-santiago

JUNHO


Mês com alguns dias de chuva e temperaturas entre 3 e 15 graus. As manhãs e noites são sempre muito geladas, durante o dia pode até eventualmente esquentar um pouco e ser um dia bem agradável com um solzinho bom de inverno.
O que trazer na mala: guarda chuva, bota e tênis impermeável, casaco grosso e de chuva, cachecol, luva, gorro
O que não é indicado: esportes como trekking, rafiting, escaladas
Comidinhas para os dias frios: charquican, cazuela, pastel de choclo, sopaipilla
Belezas da cidade: se o inverno começar com tudo, esse será um mês que você já poderá desfrutar da cidade de Santiago emoldurada pela beleza da cordilheira branca de neve e quase que de qualquer ponto da cidade você terá essa paisagem linda de viver! Um dos lugares mais “comuns” para os santiaguinos e que eu acho um ponto incrível para apreciar a cidade com a cordilheira de fundo, é a passarela que leva até o shopping Costanera Center. Em meio ao movimento dos turistas e moradores, experimente parar ali por alguns minutos, se desconecte de todos e se deixe levar apenas pela beleza dessa cidade única e sua paisagem que é um presente da natureza para todos nós!
santiago-no-inverno-2

JULHO


Mês com alguns dias de chuva e temperaturas entre -3 e 15 graus. As manhãs e noites são sempre muito geladas, durante o dia pode até eventualmente esquentar um pouco e ser um dia bem agradável com um solzinho bom de inverno.
O que trazer na mala: guarda chuva, bota e tênis impermeável, casaco grosso e de chuva, cachecol, luva, gorro.
O que não é indicado: esportes como trekking, rafiting, escaladas
Comidinhas para os dias frios: charquican, cazuela, pastel de choclo, sopaipilla
Belezas da cidade: com certeza a cidade de Santiago já estará emoldurada pela cordilheira branquinha de neve, um presente da natureza! De quase todos os pontos da cidade você terá essa paisagem linda diante dos seus olhos, então aproveite ao máximo, mesmo em momentos rotineiros como sair do estacionamento do shopping, ou andar de metrô. Pare, respire e admire essa beleza que provavelmente você não tem no seu dia a dia em São Paulo ou em outras grandes cidades do Brasil.
metro

AGOSTO


Mês com alguns dias de chuva e temperaturas entre -3 e 16 graus. As manhãs e noites são sempre muito geladas, durante o dia pode até eventualmente esquentar um pouco e ser um dia bem agradável com um solzinho bom de inverno.
O que trazer na mala: guarda chuva, bota e tênis impermeável, casaco grosso e de chuva, cachecol, luva, gorro.
O que não é indicado: esportes como trekking, rafiting, escaladas
Comidinhas para os dias frios: charquican, cazuela, pastel de choclo, sopaipilla
Belezas da cidade: a cidade de Santiago segue linda e emoldurada pela neve. A chuva pode até atrapalhar alguns dos seus planos e roteiros, mas o dia seguinte a chuva, a cidade fica com o ar mais limpo, e a cordilheira ainda mais bonita e imponente. Aproveite esse dia pós chuva e suba no mirador Sky Costanera, com certeza será umas das paisagens mais lindas que os seus olhos irão ver!
sky-costanera

SETEMBRO


Mês com alguns dias de chuva e temperaturas entre 3 e 20 graus. As manhãs e noites ainda são frias. Mas durante o dia a temperatura sobe e pode ser um dia bem agradável com um solzinho bom de inverno.
O que trazer na mala: guarda chuva, bota e tênis impermeável, casaco grosso e de chuva, cachecol, luva, gorro.
O que não é indicado: esportes como trekking, rafiting, escaladas
Comidinhas para os dias frios: charquican, cazuela, pastel de choclo, sopaipilla
Belezas da cidade: em setembro já estamos no fim do inverno, com dias mais agradáveis e o sol nos dando bom dia mais vezes seguidas. E esse sol de fim de inverno e começo de primavera é uma sensação boa demais, então aproveite o seu dia livre na cidade e vá conhecer o Povoado Los Dominicos ou para um dos inúmeros parques que Santiago nos presenteia!
parque-forestal

Passeio não indicado


Embalse el Yeso: a estrada que leva até a represa, até certo ponto das montanhas de Cajón del Maipo, é a mesma que leva até Baños Morales e Baños Colina, mas depois da cidade de San Gabriel a direção é outra. E quando se chega em Embalse a estrada vai ficando cada vez mais estreita, sem acostamento e beirando a represa sem proteções. Além de que nos dias de semana tem a circulação dos caminhões das minas, o que dificulta ainda mais o trajeto. No inverno a estrada fica molhada e escorregadia pelos dias de chuva, e quando neva, fica extremamente perigosa, vira um corredor de patinação. Por isso não realizamos e nem recomendamos esse passeio no inverno.
embalse-el-yeso-4

Passeios indicados


Valparaíso e Viña del Mar: Valparaíso tem a sua beleza caótica única, em sua geografia, em sua cultura, seu povo e sua história. Percorrer as ruas de Valpo para conhecer seus cafés, ateliês, seus murais e seus mirantes com vista para o Pacífico e para o porto é uma experiência que vale em qualquer estação. Se agasalhe bem e aproveite para caminhar com mais tempo por cada pedacinho do Cerro Concepción e Alegre, vá descobrindo aos poucos suas escadas e sua gente. Almoçar no restaurante/hotel Fauna, com uma vista privilegiada dos morros de Valparaíso é uma ótima opção no inverno. Viña del Mar tá do ladinho, com uma geografia e arquitetura totalmente diferente de Valpo e que também vale conferir. Conhecer o museu de arqueologia Folck e o Cassino são boas opções em dias frios, e se não almoçou em Valparaíso, almoçar em um dos inúmeros castelos de Viña, com vista para o mar, é outra boa opção!
funicular-valparaiso-1

Isla Negra e Algarrobo: Claro que um dia de sol e céu azul é tudo o que queremos quando vamos para o litoral, mas a praia do poeta Pablo Neruda é linda em qualquer mês do ano. Sua mistura de litoral com campo faz desse pequeno paraíso um lugar único na região central do Chile. Em dias frios, aproveite para fazer um tour mais demorado na casa do poeta, uma das mais bonitas e onde o corpo dele e do grande amor da sua vida, a Matilde, estão enterrados. Junto da casa do poeta tem um restaurante na beira do mar, com uma vista maravilhosa, escolha um bom vinho tinto e se aqueça em uma das mantas que ficam a disposição dos clientes, aí é só desfrutar o momento! Em frente a casa tem uma lojinha de artesanato, onde você pode aproveitar e fazer comprinhas de lembrancinhas. E caminhando pelas ruas que emolduram a casa, com certeza você vai cruzar com algum artista de rua, cantando ou criando, mesmo em dias gelados. Já em Algarrobo, a parada para conhecer a maior piscina do mundo, fica ainda mais surreal, porque o condomínio e a praia ficam totalmente desertos e você se sente em um lugar a parte, da agitação de Santiago.
isla-negra-2

Cajón del Maipo: Percorrer por entre as montanhas de Cajón del Maipo é uma experiência incrível para ser vivida em qualquer dia do ano. Para os amantes da natureza, das paisagens únicas, do silêncio, da paz e energia que emana da cordilheira, não importa se está sol ou frio. No inverno, existem vários pontos das montanhas que você poderá brincar na neve. Em Baños Morales tem o pessoa que aluga os trineos, pequenas pranchas para adultos e crianças escorregarem nas montanhas cobertas de neve. Fazer um piquenique acompanhado de um bom vinho por entre as montanhas nevadas também é uma delicia de opção.
Mas como você já deve ter lido em outras matérias, Cajón del Maipo, além da sua beleza e suas termas, tem também as minas de gesso e outros minerais, e com a constante retirada desses minerais, a terra e as pedras em determinados pontos ficam soltas, e com a chuva deslizam com força para a estrada, e por segurança são fechadas. Por isso, esse é um passeio que depende das condições climáticas. Se for uma semana sem chuva, provavelmente conseguiremos chegar até Baños Colina, ou até algum outro ponto que esteja liberado. Mas eu aconselho você a pensar em uma outra opção para esse dia: um Tour por Santiago por exemplo.
cajon-del-maipo-inverno

Valle Nevado: Acho que sobre esse passeio eu nem preciso falar muita coisa né? Afinal ele é o destino mais procurado pelos brasileiros no inverno! Os centros de esqui de Valle Nevado e Farellones chegam a parecer um pedaço do nosso Brasil, rs. E se prepare para viver uma experiência maravilhosa em sua vida, já desde a subida pelo caminho coberto de neve, até a aventura de esquiar ou “voar” de tirolesa pelas montanhas. Se não quer se aventurar, então tire um longo tempo para almoçar em uma das boas opções com vista para a cordilheira! E se você está com crianças, busque um dos espaços livres para que elas brinquem e descubram como é bom viver essa experiência que parece até coisa de filme!
A roupa de neve é sempre indicada no inverno, porque mesmo que você não vá esquiar, você vai querer brincar na neve, e para que você não se molhe e congele depois, alugue a roupa, a bota, as luvas e o gorro! Em Valle Nevado e Farellones as temperaturas variam entre 0 e -8 graus.
valle-nevado

Tour Santiago: Boa opção para os dias de chuva! Você irá conhecer vários pontos da cidade sem precisar descer do carro e se molhar. Mas em vários outros pontos turísticos você poderá descer para conhecer de perto, como: mirador Sky Costanera, Mercado Central, Centro Cultural Gabriela Mistral, a casa La Chascona de Pablo Neruda, o Centro de Artesanato Santa Lucía, o shopping Parque Arauco, Espaço Cultural La Moneda, entre outros. Então se o dia for mesmo de chuva, aproveite e faça suas compras e conheça os lugares fechados de Santiago, mas não fique preso no hotel!
mercado-central

Valles de Maipo, Casablanca e Colchagua: Conhecer as vinhas no inverno não deixa de ter as suas delícias! As parreiras não estarão repletas de folhas ou cachos de uvas, mas você também poderá fazer o tour entre as plantações e conhecer um pouco mais sobre o cultivo e os tipos de uva de cada região. Se estiver chovendo, o tour acontece somente na parte interna das vinhas, nas bodegas, o que também é muito bacana de se conhecer, o aroma das barricas de vinho é um manjar dos deuses rs. Sem falar na maravilha que é provar em dias frios, bons vinhos tintos harmonizados com queijos e chocolates. Muitas das vinhas tem bons restaurantes com preços até mais acessíveis que os de Santiago, então aproveite o dia para um almoço com vista para as plantações. E no final do passeio, lembre-se de comprar seus vinhos preferidos, afinal nas vinhas é onde você vai encontrar os melhores preços.vinhos-chilenos             
ENTAO #PARTIU CHILE                                                                                                                         Garanta já sua vaga conosco: (22)2791-3462/99790-8504wats appp
#fujadasexcursoespiratas
#viajecomguiascadastur                                                                                                             

Estimativa de gastos e dicas de passeios em Santiago – Chile

FONTE: http://mochilabrasil.uol.com.br/blog/estimativa-de-gastos-e-dicas-de-passeios-em-santiago-chile


Por Paula Leal
Em outubro/2016 fui sozinha pro Chile onde depois de alguns dias encontraria uma amiga para seguirmos viagem de 21 dias com o roteiro Santiago > Mendoza/Argentina > Viña del Mar > Valparaíso > San Pedro de Atacama > Salar do Uyuni > San Pedro > SP/Brasil. Como contei muito com a ajuda de relatos aqui do grupo e de vários blogs para planejar minha viagem nada mais justo do que tentar contribuir com dicas para quem está planejando viagem pra esses destinos. E a dica principal é: VÁ!
Começo dando a dica de onde sentar no avião do Brasil pro Chile: se quiser ver a magnitude da Cordilheira dos Andes sente na janela do lado direito do avião. Eu dei a sorte de ir num vôo só com duas confortáveis poltronas lado a lado então o máximo que aguentei foi o tiozinho francês mto educado pedindo pra ir pra janela tbm tirar umas fotos.

Ao desembarcar em Santiago podemos aproveitar o wifi do aeroporto pra se conectar. O Aeroporto de Santiago é grande e tem tudo que você precisa por lá (lanchonete, caixa eletrônico, loja de informática e telefonia), mas é tudo mais caro que no centro, off course.
Câmbio/dinheiro: em outubro um real valia 180 pesos chilenos aproximadamente (1 R$ = $180 CLP), mas pra facilitar a vida em contas básicas do dia a dia eu sempre multiplicava por 5 o valor em pesos, sem os zeros do milhar, e via qto custaria em reais. Por exemplo: uma passagem de $5.000 pesos seria 5 vezes 5 = 25 reais). Também li bastante que o câmbio no Brasil e também no aeroporto de Santiago era ruim, que as melhores taxas são das casas de câmbio no centro. Mas eu me recusei a viajar carregando dinheiro “vivo”, morro de medo de assalto (ainda mais viajando sozinha, com a maior cara de turista do mundo), então já que eu teria que sacar do Itaú já preferi pagar as taxas do meu banco para usar sempre que possível o saque direto em pesos, e o cartão de crédito/débito, claro. Ah, por via das dúvidas também comprei um travel money no meu banco e abasteci ele com um tanto de dólares. Super prático pq poderia transferir os dólares direto pelo aplicativo do celular qdo eu quisesse, mas o IOF é o mesmo pra qquer operação com cartão, 6,38%. O bom foi que peguei uma taxa cambial baixa do dólar e já comprei um tanto pra garantir (o que foi bom pq ele aumentou depois). Pra acompanhar o preço do dólar acompanhei a página “Dólar na Bagagem” aqui do face que me ajudou muito a comprar no melhor preço, recomendo.

Para se deslocar até o centro de Santiago (o aeroporto é afastado de tudo) tem várias opções, desde os taxis (mais comodidade mas tbm mais caro, óbvio) até transfer coletivo ou ônibus de linha. O transfer coletivo da Transvip, por exemplo, custa $7000 CLP (pesos chilenos) e espera encher uma van e vai deixando cada um em seu hotel. Isso faz a viagem demorar porque você pode ser o primeiro ou o último a ser deixado, mas pra quem não tem pressa e está na vibe de já ir dando uma volta pela cidade é ótimo, e ainda já conhece outros turistas na van tbm. Eu optei pelo ônibus de linha porque cheguei querendo viver o dia a dia de Santiago fora do circuito turistinha. O único perrengue é subir a mala gigante no ônibus cheio, mas como desceria no ponto terminal (que era onde pegaria o metrô) não tive maiores problemas. Este ônibus circular, da TurBus, custa $1700 CLP e tem dois andares, dá a maior volta na cidade até chegar no terminal final do metro e tem poucos (ou nenhum) turistas nele, ou seja, imersão cultural com o chilenos te olhando com cara feita por causa da mala grande e ninguém disposto a entender portunhol ou inglês, te vir nos 30 com o espanhol (mas no final da viagem a gente já sai falando espanhol quase fluente, rsrs, não se preocupem).
No terminal rodoviário comprei meu chip local, escolhi o da Intel, e por $ 5000 CLP (menos de 25 reais) comprei o chip e um pacote de internet que me rendeu boa navegação por uma semana.
Pra pegar o metrô é necessário ter o cartão BIP. Comprei direto na bilheteria e já abasteci para umas seis viagens de metrô que eu faria nos passeios, depois o abasteci tranquilamente nas bilheterias do metro qdo precisei. O metrô foi o meu meio de transporte principal em Santiago, escolhi me hospedar perto de uma estação e o usei para todos os passeios, só peguei um uber um dia… Pra quem tá acostumado com o metrô de SP não teve segredo nenhum usar o metrô de Santiago, as estações me lembravam demais as nossas de SP, inclusive.

Gastos e Dicas de Passeios

Pra quem queria uma estimativa de gastos em Santiago e também fotos e dicas de passeios. Em 3 dias de Santiago, incluindo ida até o Valle Nevado e compra de Souvenirs, sem economizar em almoço e jantares em restaurantes que queria ir, gastei aproximadamente $ 150.000 pesos chilenos, ou aproximadamente R$ 750,00 e mais R$ 100,00 pro guia, ou seja, total de R$ 850.00.  Mas com certeza dá pra passar de boa com menos que isso. Detalhes nas fotos.
Como vocês podem ver nos detalhes dos gastos o caro é alimentação. Mas há várias formas de economizar nessa parte: desde buscar os menus do dia, ou seja, prato completo por um valor fixo mais em conta (tipo prato feito com sobremesa por 20 reais) ou ainda os fast foods bem mais em conta. As famosas empanadas também podem servir de cardápio por uns belos dias, um dos pratos mais baratos por lá e super bem servidas.
Sobre os passeios: há um tour pela manhã e à tarde no centro histórico que não paga valor estipulado. O esquema é contribuição voluntaria para os guias. Vale a pena, eles vão contando a história dos prédios históricos de lá durante as visitas a cada um. A matriz é linda, assim como o prédio dos Correios onde vale a pena mandar um postal pra alguém!
Todos os Museus pagam entrada então pra quem não é muito fã talvez não valha a pena, muito embora eu ache imprescindível ir em dois: pelo menos um dos Museus de Pablo Neruda e o Museu dos Direitos Humanos. Sobre o Neruda não tem o que falar, é lindo demais, um show de história, poesia, vida, política… São três casas do poeta que viraram museu da Fundação Pablo Neruda e contam com áudio em várias línguas (inclusive em português) para os visitantes irem caminhando pelos cômodos e ouvindo a história da casa e do poeta. Já o Museu dos Direitos Humanos é a história daquele povo (que pode se confundir com a nossa). Mas é forte, pra caramba. Passei mal vendo os vídeos da ditadura lá. “Pra nunca mais esquecer, pra nunca mais acontecer!”.

Pertinho do Museu La Chascona de Neruda fica o Cerro San Cristobal que pra subir pega-se o funicular (bondinho que sobe os trilhos do morro). O Cerro é lindo e uma delicia ver Santiago lá de cima. Aproveite pra experimentar o mote com huesillos, bebida típica de lá parecido com um chá Matte gelado com pêssego e trigo em pedacinhos, doce, muitooo doce.
Dentro de um shopping (pra quem curte tem shoppings grandes na capital, mas já aviso que são iguaizinhos os nossos: caros, cheios e com preços mto parecidos aos nossos de SP, por exemplo)… mas o mais legal é que dentro de um shopping tem o SkyCostanera, uma torre gigante que cobra uma taxa pra galera subir em um elevador super rápido e depois ficar admirando a vista lá de cima. A foto fala por si. Quem for no período da tarde paga mais barato do que a noite. Eu fui final da tarde e fiquei até de noite quando a vista é ainda mais linda.
Alguns passeios no entorno de Santiago também valem a pena, como o Valle Nevado ou outra estação de esqui. Dei sorte de pegar de fato Nevado mesmo, pois na época que fui não era pra estar. Pra ir até lá precisa de guia ou pagar transporte específico pq é longe da capital, na Cordilheira. Recomendam alugar roupas de neve e já aviso q só alugar a bota é suficiente pra quem está bem agasalhado (mas a bota foi um investimento q valeu a pena, quem estava sem mal conseguia se deslocar na neve). Tem também as vinícolas da região, a mais conhecida é a Concha y Toro, mas nessas não fui pq afinal de contas segui viagem até a Capital Argentina do Vinho, Mendoza, que vale um post a parte! Mas a galera que foi na Concha y Toro voltou muito empolgada e cheia de vinhos, então vale a pena!!

Dicas de onde se hospedar/bairros

Santiago é capital, certo? Logo, como toda capital, é grande, com trânsito, muvuca, horário de pico, gente trabalhando e por aí vai. Mas também é destino turístico então alguns bairros mais do que outros são mais preparados para lidar com os turistas (pro lado bom e pro lado ruim…).
Há muitas e muitassss opções de hospedagem na cidade. Desde hotéis chiquérrimos até hostels que eu sinceramente não sei como se sustentam cobrando tão pouco. Eu escolhi o meio termo, não queria hostel fundo de quintal mas também não queria pagar um hotel caro (e que pra piorar, viajando sozinha, não me ajudaria a me enturmar). Definido o tipo de hospedagem faltava definir o mais difícil, ao meu ver: o bairro. Pesquisei, pesquisei, pesquisei e resumindo, pra quem quer um bairro bem localizado, de fácil acesso pros principais pontos culturais, que não seja deserto ao anoitecer, que tenha opções de bares, restaurantes e até baladinhas pra quem gosta eu recomendaria ficar em Providencia ou Bela Vista. Já pra quem quer ficar num bairro mais sossegado e charmoso, com ruas no estilo europeu, recomendo o bairro Belas Artes. Escolhi a primeira opção. Entre os váriossss hostels em Providencia/Bela Vista dois me chamaram atenção: Rado Hostel e Fox Hostel. Fechei com o primeiro e não me arrependo, mas acho importante fazer algumas ressalvas…
O Rado Hostel é muitooo bem avaliado no Booking (aliás, sempre procuro hospedagens no Booking e tbm no AirBnB), fica no bairro Bela Vista, ao lado do Patio Bela Vista, inclusive, e a alguns minutos do Cerro San Cristobal e do Museu La Chascona, da Fundação Pablo Neruda. Além de ser bem pertinho do metrô, claro (Estação Baquedano, com acesso às linhas vermelha e verde do metro). Pra mim encaixou perfeitamente, ainda mais que por ser um hostel tem preços melhores que hoteis e por atender os critérios que eu escolhi para definir por um hostel: ter quartos só femininos (ou pelo menos mistos com no máximo 4 pessoas), ter banheiro dentro do quarto e lockers/armários grandes para malas grandes.. Fiquei no quarto feminino, com 6 camas e banheiro privativo. Foi super sussa, não tive problema nenhum com as colegas de quarto ou com o pessoal do hostel. Visitei os quartos mistos também (para 4 pessoas) e dá pra encarar de boa. A questão em hostel é sempre dar a sorte de pegar um pessoal de boa e com alguma noção de compartilhamento de espaço público, né?


Para mais fotos e comentários confira o post no grupo do Mochileiros.com:
https://www.facebook.com/groups/mochileiroscom/permalink/10153955058092260/


Ao desembarcar em Santiago podemos aproveitar o wifi do aeroporto pra se conectar. O Aeroporto de Santiago é grande e tem tudo que você precisa por lá (lanchonete, caixa eletrônico, loja de informática e telefonia), mas é tudo mais caro que no centro, off course.
Câmbio/dinheiro: em outubro um real valia 180 pesos chilenos aproximadamente (1 R$ = $180 CLP), mas pra facilitar a vida em contas básicas do dia a dia eu sempre multiplicava por 5 o valor em pesos, sem os zeros do milhar, e via qto custaria em reais. Por exemplo: uma passagem de $5.000 pesos seria 5 vezes 5 = 25 reais). Também li bastante que o câmbio no Brasil e também no aeroporto de Santiago era ruim, que as melhores taxas são das casas de câmbio no centro. Mas eu me recusei a viajar carregando dinheiro “vivo”, morro de medo de assalto (ainda mais viajando sozinha, com a maior cara de turista do mundo), então já que eu teria que sacar do Itaú já preferi pagar as taxas do meu banco para usar sempre que possível o saque direto em pesos, e o cartão de crédito/débito, claro. Ah, por via das dúvidas também comprei um travel money no meu banco e abasteci ele com um tanto de dólares. Super prático pq poderia transferir os dólares direto pelo aplicativo do celular qdo eu quisesse, mas o IOF é o mesmo pra qquer operação com cartão, 6,38%. O bom foi que peguei uma taxa cambial baixa do dólar e já comprei um tanto pra garantir (o que foi bom pq ele aumentou depois). Pra acompanhar o preço do dólar acompanhei a página “Dólar na Bagagem” aqui do face que me ajudou muito a comprar no melhor preço, recomendo.

Para se deslocar até o centro de Santiago (o aeroporto é afastado de tudo) tem várias opções, desde os taxis (mais comodidade mas tbm mais caro, óbvio) até transfer coletivo ou ônibus de linha. O transfer coletivo da Transvip, por exemplo, custa $7000 CLP (pesos chilenos) e espera encher uma van e vai deixando cada um em seu hotel. Isso faz a viagem demorar porque você pode ser o primeiro ou o último a ser deixado, mas pra quem não tem pressa e está na vibe de já ir dando uma volta pela cidade é ótimo, e ainda já conhece outros turistas na van tbm. Eu optei pelo ônibus de linha porque cheguei querendo viver o dia a dia de Santiago fora do circuito turistinha. O único perrengue é subir a mala gigante no ônibus cheio, mas como desceria no ponto terminal (que era onde pegaria o metrô) não tive maiores problemas. Este ônibus circular, da TurBus, custa $1700 CLP e tem dois andares, dá a maior volta na cidade até chegar no terminal final do metro e tem poucos (ou nenhum) turistas nele, ou seja, imersão cultural com o chilenos te olhando com cara feita por causa da mala grande e ninguém disposto a entender portunhol ou inglês, te vir nos 30 com o espanhol (mas no final da viagem a gente já sai falando espanhol quase fluente, rsrs, não se preocupem).
No terminal rodoviário comprei meu chip local, escolhi o da Intel, e por $ 5000 CLP (menos de 25 reais) comprei o chip e um pacote de internet que me rendeu boa navegação por uma semana.
Pra pegar o metrô é necessário ter o cartão BIP. Comprei direto na bilheteria e já abasteci para umas seis viagens de metrô que eu faria nos passeios, depois o abasteci tranquilamente nas bilheterias do metro qdo precisei. O metrô foi o meu meio de transporte principal em Santiago, escolhi me hospedar perto de uma estação e o usei para todos os passeios, só peguei um uber um dia… Pra quem tá acostumado com o metrô de SP não teve segredo nenhum usar o metrô de Santiago, as estações me lembravam demais as nossas de SP, inclusive.

Gastos e Dicas de Passeios

Pra quem queria uma estimativa de gastos em Santiago e também fotos e dicas de passeios. Em 3 dias de Santiago, incluindo ida até o Valle Nevado e compra de Souvenirs, sem economizar em almoço e jantares em restaurantes que queria ir, gastei aproximadamente $ 150.000 pesos chilenos, ou aproximadamente R$ 750,00 e mais R$ 100,00 pro guia, ou seja, total de R$ 850.00.  Mas com certeza dá pra passar de boa com menos que isso. Detalhes nas fotos.
Como vocês podem ver nos detalhes dos gastos o caro é alimentação. Mas há várias formas de economizar nessa parte: desde buscar os menus do dia, ou seja, prato completo por um valor fixo mais em conta (tipo prato feito com sobremesa por 20 reais) ou ainda os fast foods bem mais em conta. As famosas empanadas também podem servir de cardápio por uns belos dias, um dos pratos mais baratos por lá e super bem servidas.
Sobre os passeios: há um tour pela manhã e à tarde no centro histórico que não paga valor estipulado. O esquema é contribuição voluntaria para os guias. Vale a pena, eles vão contando a história dos prédios históricos de lá durante as visitas a cada um. A matriz é linda, assim como o prédio dos Correios onde vale a pena mandar um postal pra alguém!
Todos os Museus pagam entrada então pra quem não é muito fã talvez não valha a pena, muito embora eu ache imprescindível ir em dois: pelo menos um dos Museus de Pablo Neruda e o Museu dos Direitos Humanos. Sobre o Neruda não tem o que falar, é lindo demais, um show de história, poesia, vida, política… São três casas do poeta que viraram museu da Fundação Pablo Neruda e contam com áudio em várias línguas (inclusive em português) para os visitantes irem caminhando pelos cômodos e ouvindo a história da casa e do poeta. Já o Museu dos Direitos Humanos é a história daquele povo (que pode se confundir com a nossa). Mas é forte, pra caramba. Passei mal vendo os vídeos da ditadura lá. “Pra nunca mais esquecer, pra nunca mais acontecer!”.

Pertinho do Museu La Chascona de Neruda fica o Cerro San Cristobal que pra subir pega-se o funicular (bondinho que sobe os trilhos do morro). O Cerro é lindo e uma delicia ver Santiago lá de cima. Aproveite pra experimentar o mote com huesillos, bebida típica de lá parecido com um chá Matte gelado com pêssego e trigo em pedacinhos, doce, muitooo doce.
Dentro de um shopping (pra quem curte tem shoppings grandes na capital, mas já aviso que são iguaizinhos os nossos: caros, cheios e com preços mto parecidos aos nossos de SP, por exemplo)… mas o mais legal é que dentro de um shopping tem o SkyCostanera, uma torre gigante que cobra uma taxa pra galera subir em um elevador super rápido e depois ficar admirando a vista lá de cima. A foto fala por si. Quem for no período da tarde paga mais barato do que a noite. Eu fui final da tarde e fiquei até de noite quando a vista é ainda mais linda.
Alguns passeios no entorno de Santiago também valem a pena, como o Valle Nevado ou outra estação de esqui. Dei sorte de pegar de fato Nevado mesmo, pois na época que fui não era pra estar. Pra ir até lá precisa de guia ou pagar transporte específico pq é longe da capital, na Cordilheira. Recomendam alugar roupas de neve e já aviso q só alugar a bota é suficiente pra quem está bem agasalhado (mas a bota foi um investimento q valeu a pena, quem estava sem mal conseguia se deslocar na neve). Tem também as vinícolas da região, a mais conhecida é a Concha y Toro, mas nessas não fui pq afinal de contas segui viagem até a Capital Argentina do Vinho, Mendoza, que vale um post a parte! Mas a galera que foi na Concha y Toro voltou muito empolgada e cheia de vinhos, então vale a pena!!

Dicas de onde se hospedar/bairros

Santiago é capital, certo? Logo, como toda capital, é grande, com trânsito, muvuca, horário de pico, gente trabalhando e por aí vai. Mas também é destino turístico então alguns bairros mais do que outros são mais preparados para lidar com os turistas (pro lado bom e pro lado ruim…).
Há muitas e muitassss opções de hospedagem na cidade. Desde hotéis chiquérrimos até hostels que eu sinceramente não sei como se sustentam cobrando tão pouco. Eu escolhi o meio termo, não queria hostel fundo de quintal mas também não queria pagar um hotel caro (e que pra piorar, viajando sozinha, não me ajudaria a me enturmar). Definido o tipo de hospedagem faltava definir o mais difícil, ao meu ver: o bairro. Pesquisei, pesquisei, pesquisei e resumindo, pra quem quer um bairro bem localizado, de fácil acesso pros principais pontos culturais, que não seja deserto ao anoitecer, que tenha opções de bares, restaurantes e até baladinhas pra quem gosta eu recomendaria ficar em Providencia ou Bela Vista. Já pra quem quer ficar num bairro mais sossegado e charmoso, com ruas no estilo europeu, recomendo o bairro Belas Artes. Escolhi a primeira opção. Entre os váriossss hostels em Providencia/Bela Vista dois me chamaram atenção: Rado Hostel e Fox Hostel. Fechei com o primeiro e não me arrependo, mas acho importante fazer algumas ressalvas…
O Rado Hostel é muitooo bem avaliado no Booking (aliás, sempre procuro hospedagens no Booking e tbm no AirBnB), fica no bairro Bela Vista, ao lado do Patio Bela Vista, inclusive, e a alguns minutos do Cerro San Cristobal e do Museu La Chascona, da Fundação Pablo Neruda. Além de ser bem pertinho do metrô, claro (Estação Baquedano, com acesso às linhas vermelha e verde do metro). Pra mim encaixou perfeitamente, ainda mais que por ser um hostel tem preços melhores que hoteis e por atender os critérios que eu escolhi para definir por um hostel: ter quartos só femininos (ou pelo menos mistos com no máximo 4 pessoas), ter banheiro dentro do quarto e lockers/armários grandes para malas grandes.. Fiquei no quarto feminino, com 6 camas e banheiro privativo. Foi super sussa, não tive problema nenhum com as colegas de quarto ou com o pessoal do hostel. Visitei os quartos mistos também (para 4 pessoas) e dá pra encarar de boa. A questão em hostel é sempre dar a sorte de pegar um pessoal de boa e com alguma noção de compartilhamento de espaço público, né?


Para mais fotos e comentários confira o post no grupo do Mochileiros.com:
https://www.facebook.com/groups/mochileiroscom/permalink/10153955058092260/
 Garanta já sua vaga conosco: (22)2791-3462/99790-8504wats appp
#fujadasexcursoespiratas
#viajecomguiascadastur

Dicas de Viagem para o Chile

 FONTE: http://feriasnochile.com/ifijate/dicas-de-viagem-para-o-chile

Um pequeno guia com dicas úteis, elaborado por nós que somos brasileiros e moramos aqui, para você que vem conhecer a cidade de Santiago e seus arredores, na região central do país.

Que moeda trazer?

Poucos lugares aceitam outras moedas aqui no Chile, que não seja a moeda corrente do país: o peso chileno. Os cartões de crédito e cartões pré pagos são aceitos nos hotéis e restaurantes, mas nas lojas em geral vejo muitas vezes os cartões sendo rejeitados, mesmo com limite disponível e desbloqueado para uso no estrangeiro, ou seja, para as comprinhas, ainda a melhor opção é ter os pesos no bolso, além de que em algumas situações você não terá outra opção de pagamento que não seja em espécie: compras no comércio de rua e bilhete de metrô, por exemplo. Lembrando, que no caso dos cartões pré pago e crédito você irá pagar o IOF de 6,38% e ficará vulnerável a oscilação cambial. 
Uma boa opção é trazer real ou dólar e trocar aqui por pesos nas casas de cambio do centro de Santiago, onde a cotação sempre é melhor. Para saber que moeda vale mais trazer, você precisará fazer algumas contas na época da sua viagem, mas no geral, a diferença entre trazer uma ou outra é pequena. Segue dois exemplos com as seguintes cotações no cambio de dezembro de 2016:
US$ 1 dólar = R$ 3,34 reais | US$ 1 dólar = $ 660 pesos | R$ 1 real = 200 peso
Trazer dólar: Com 1.000,00 reais você compra 299 dólares x 660 pesos, você terá 197.340 pesos
Trazer real: Com 1.000,00 reais x 200 pesos, você terá 200.000 pesos
Ou seja, no cambio atual, vale mais a pena trazer reais. Mas caso você já tenha os dólares em mãos, tudo bem, veja que a diferença é de apenas 2.660 pesos, que equivale hoje a 13,30 reais.
Na rua Agustinas, centro de Santiago, há várias casas de cambio, onde você poderá fazer a troca do seu dinheiro de forma segura, além de poder fazer uma comparação e optar pela que estiver com a melhor cotação. Lembre-se que é o valor de compra que é o que você deve considerar e quanto mais alto estiver, melhor, mais pesos você terá para gastar em sua viagem.

Documentos

passaporte-brasileiroPara entrar no Chile você não precisa de visto e passaporte, somente com o seu RG em bom estado e ter sido emitido há menos de 10 anos, caso contrário, você precisará solicitar um novo documento. Lembre-se, que os menores de 18 anos, se acompanhados de somente um, dos pais biológicos, ele precisará da autorização do outro pai biológico, ou do responsável.
É válido trazer o seu passaporte, caso você tenha, pois além do carimbo, você fica isento da cobrança de IVA (Impuesto al Valor Agregado) de 19%, quando o pagamento do hotel for feito aqui, em dólar ou cartão de crédito. Se você já fez o pagamento do valor total da hospedagem aí no Brasil, automaticamente você ficou isento desse imposto, pois ele é cobrado somente aqui no Chile e em alguns outros países. Esse desconto não é válido para hospedagem em apartamentos.
No caso de você perder aqui seu RG ou Passaporte, procure o Consulado-Geral do Brasil em Santiago. No caso de você ter sido furtado, procure um Carabinero (Polícia) e ele te orientará onde fazer um boletim de ocorrência, depois dirija-se ao Consulado.

Vacina

Não é necessário tomar nenhuma vacina para viajar para o Chile.

Bagagem

Verifique com a empresa aérea que você comprou a sua passagem, o peso permitido para a sua bagagem a ser despachada e a bagagem de mão, além de outras normas, para não ter sustos na hora do embarque.
Aqui no Chile a Aduana é muito rígida, o motivo é  o cuidado que o Ministério de Agricultura tem com as plantações de uvas e a produção do vinho, fundamental para a economia chilena, por isso evite trazer qualquer produto de origem vegetal ou animal, frutas, sementes, artesanato em madeira, pena, bambu, mas caso traga, o melhor é declarar em um formulário que será entregue para você dentro do avião.
Já aqui na Polícia Federal do aeroporto de Santiago, irão te entregar um documento de imigração, que você deverá guardar para usá-lo na saída do país, ele é solicitado e obrigatório, caso você o perca, deverá ir a PDI solicitar segunda via. Ele também será solicitado no check-in do hotel. O formulário que você preencheu dentro do avião, deverá ser entregue para o pessoal da Aduana, onde toda a sua bagagem irá passar novamente por uma esteira, e caso achem necessário, vão revisar as suas malas, então para evitar qualquer tipo de transtorno, declare no formulário, tudo o que for necessário.

Recomendações

Como em todos os lugares do mundo, os furtos acontecem, principalmente nos lugares de maior aglomeração: metro em horários de pico, ruas do centro em horários de movimento, lojas cheias. Nos restaurantes mais agitados, fique atento à sua bolsa, celular, máquina fotográfica. Sem neuras, pois Santiago ainda é uma cidade tranquila e os bairros turísticos tem um bom policiamento, mas, não dê sopa ao azar.
Tome cuidado com o golpe dos taxistas, infelizmente acontece com uma certa frequência e principalmente na saída do Patio Bellavista, onde o número de turistas é muito grande. Só pegue táxis que tenham o taxímetro e antes de fazer o pagamento, exija o ticket. Ande sempre com o dinheiro trocado, pois o golpe é justo com as notas de maior valor: você dá uma nota de 10.000 pesos e ele em um passe de mágica troca por uma de 1.000 pesos e diz que você se confundiu. Não são todos os taxistas que agem de má fé, mas para não arriscar, prefira usar os aplicativos Easy Táxi ou Uber, que funcionam muito bem aqui, e você pode pagar com dinheiro.
O aeroporto de Santiago tem wi-fi liberado, assim que você desembarcar do avião já conseguirá se conectar, mas para o período da sua viagem, opte por comprar aqui um chip pré pago da Claro, você irá gastar em torno de 20,00 reais e terá Whatsapp e Facebook para a semana toda.
Não aceite ofertas de passeios oferecidas nas ruas, essa é uma recomendação do próprio Consulado brasileiro para tentar evitar que você passe por situações de risco ou perca dinheiro. O barato as vezes sai bem caro!
Faça um seguro viagem e evite transtornos e gastos inesperados nos seus dias de férias. A ideia é não precisar usá-lo, mas não temos como saber, por isso, melhor se precaver.

Climalos3-1

As quatro estações aqui no Chile são iguais as nossas aí no Brasil. Com um inverno bem rigoroso, um verão seco e muito quente, uma primavera e outono de dias mais agradáveis.
Outono: 21 de março a 20 de junho | Temperatura de 5 a 25 graus
Quando começa a cair a temperatura e as folhas das árvores, as ruas ficam cobertas por tapetes de folhas douradas, avermelhadas e verdes. A neblina entre as montanhas deixa a paisagem da Cordilheira ainda mais bonita e nas ruas, começa um desfile de botas, casacos e gorros.
Inverno: 21 de junho a 20 de setembro | Temperatura de -5 a 25 graus
Estação do ano que a Cordilheira dos Andes fica branca de neve e emoldura toda a cidade. As temperaturas durante a manhã e a noite caem abaixo de zero, com muitos dias cinzas e chove mais que todas as outras estações do ano. Já aconteceu, mas é muito raro nevar em Santiago. Os restaurantes, shoppings, lojas, hotéis e a maioria das casas  e apartamentos tem aquecimento a gás, o que torna os dias de inverno bem mais suportável.
Primavera: 21 de setembro a 20 de dezembro | Temperatura de 10 a 30 graus
A cidade, os jardins das casas, as praças e parques, as montanhas da Cordilheira e o caminho para o litoral se enchem de flores de várias cores e espécies. As árvores ficam cheias de folhas verdes em vários tons, as parreiras começam a brotar suas folhas novas se preparando para a próxima colheita e vários tipos de frutas são vendidas nas feiras, mercados e nas ruas da cidade.
Verão: 21 de dezembro a 20 de março | Temperatura de 15 a 35 graus
O verão aqui é quente de torrar, com poucos dias de chuva e quando acontece é ótimo porque limpa o ar. Os dias são mais longos, o sol nasce na Cordilheira por volta das 6:30 da manhã e se põe no Pacífico quase 9:00 da noite! Beba muita água e não se esqueça de usar protetor solar todos os dias. Dica: deixe para comprar aqui, os preços são ótimos comparados aos do Brasil.

Em que bairro se hospedarparque-balmaceda

Os três bairros com mais opções de hospedagem são: Centro, Providência e Las Condes. Qual a melhor opção? Depende do que você busca: se é preço, vista, agitação, segurança ou facilidade para se locomover. Então segue algumas observações sobre cada um:
Centro: Bairro comercial e residencial. Seguro. Com várias estações de metrô e próximo do comércio e dos pontos turísticos da cidade. Onde você vai encontrar os preços mais econômicos. Lugares próximos: Plaza de Armas, cerro Santa Lucía, Mercado Central, casas de câmbio.
Providência: Bairro comercial e residencial. Muito Seguro. Também com várias estações de metrô e próximo de bares e restaurantes. Vida noturna agitada. Preços mais elevados que o Centro entre os hotéis 4 e 5 estrelas. Lugares próximos: shopping Costanera Center, restaurante Giratório, bairro Bellavista, cerro San Cristóbal.
Las Condes: Bairro residencial e tranquilo. Ainda mais seguro. Nem todos os hotéis ficam próximos de estação de metrô. Vista privilegiada da cordilheira. Preços elevados com hotéis 5 estrelas. Lugares próximos: shopping Parque Arauco, parque Araucano, povoado Los Domínicos

Entao que tal conhecer o Chile? Consulte ja a Macae Turismo e garanta ja sua vaga.

 (22)2791-3462/99790-8504wats appp
#fujadasexcursoespiratas
#viajecomguiascadastur/